AUTOATENDIMENTO

Livro Sorocoisas ganha prêmio literário
12/11/2019 - 14h30

O livro “Sorocoisas, Manual de Sorocaba para Principiantes”, de autoria do jornalista e publicitário Celso Ribeiro, o Marvadão, e da professora da Uniso, Denise Lemos Gomes, ganhou o Prêmio Sorocaba de Literatura 2019, na categoria “Não-ficção”. O prêmio é uma realização anual da Secretaria Municipal da Cultura (Secult). O livro pode ser adquirido na Associação Comercial de Sorocaba, que fica na Rua da Penha, 535.

Segundo a professora Denise Lemos Gomes, a ideia de escrever um livro sobre as coisas típicas de Sorocaba, suas linguagens e influências já acompanhava Celso Ribeiro há bastante tempo. Ele colecionava muitas anotações, fruto de suas observações e publicações na imprensa local. Foi aí que surgiu o convite à professora Denise. “Topei porque sou uma legítima sorocabana, com vivência e observadora dos fatos locais. Gostei do desafio”, explica Denise.

O resultado foi um livro descontraído, mas que não perdeu a capacidade de análise e de registro linguístico. Os dois autores uniram suas experiências e as observações do cotidiano, organizando o conteúdo em 60 textos, dando a eles um perfil de manual da cidade para principiantes. A obra traz também um glossário com mais de 1.000 expressões típicas.

“A obra não é acadêmica, é um registro jornalístico e bem-humorado sobre as nossas coisas. Claro que houve observação, pesquisa, profundidade e busca de um certo tom literário. Mas escolhemos a leveza como forma de narrar, como se fosse uma grande crônica sobre a cidade.”

Entre algumas “Sorocoisas”, a professora cita, por exemplo, chamar o pão francês de “filãozinho” e usar o gerúndio no diminutivo, como em “chovendinho”, “comprandinho”, “namorandinho”. “É uma característica afetiva muito divertida”, comenta a professora Denise.

Segundo ela, Sorocaba, pela sua formação como cidade, pela sua história e pela sua gente, é um grande laboratório antropológico. “Um espaço rico nas suas manifestações, sobretudo na mistura entre o rural e o urbano, com influências do dialeto caipira, dos gaúchos, dos espanhóis e muitas outras que continuam chegando”, conclui.

É possível dizer, então, que o sorocabano tem suas próprias expressões? A professora Denise Lemos Gomes responde: “Não só expressões verbais, mas características presentes em outras linguagens não-verbais, como o gestual. Isso também está presente nos usos e costumes, crenças, lendas, ditados, fora as características de sua topografia e como ela influência a psicologia popular.”