AUTOATENDIMENTO


PAD - 2015/2

Método Investigativo


Professor responsável: Me. Jesaías da Silva Souza

 

  • 26/08/2015 - O que é o método investigativo?

 

- Conceitos gerais sobre a metodologia:
- O que é investigar?
- O método: estágios da investigação.
- Definir investigação.
- Apresentar os tipos de raciocínio envolvidos no método investigativo.
- Identificar conteúdos que lecionam e a possibilidade de serem norteados pelos tipos de raciocínio.

 

 

  • 09/09/2015 - A produção do conhecimento: raciocínio abdutivo e dedutivo.

 

- Conceitos gerais sobre a metodologia:
- O que é produção de conhecimento?
- O que é abdução e dedução?
- Produção do conhecimento
- O raciocínio abdutivo e suas particularidades
- O raciocínio dedutivo: definição e elaboração de tarefas.
- Exposição pelos professores dos temas escolhidos e socialização de ideias
- Identificar conteúdos que lecionam e a possibilidade de serem norteados pelos tipos de raciocínio.

 

 

  • 07/10/2015 - Raciocínio indutivo: definição e o processo de generalização

 

- Conceitos gerais sobre o método
- Definição de raciocínio indutivo e o processo de generalização.
- O raciocínio indutivo
- Processo de generalização
- Elaboração de tarefas norteadas pelo raciocínio indutivo.
- Exposição pelos professores dos temas escolhidos e socialização de ideias.

 

 

  • 18/11/2015 - Produção de conhecimento e o método investigativo.

 

- Conceitos gerais sobre a metodologia:

- Apresentação (5 minutos)
- Apresentação do material elaborado e aplicado.
- Mesa-redonda: A relevância do método investigativo na produção do conhecimento. Análise crítica do grupo sobre as situações vivenciadas: Potencialidades e Limitações

Referências

COSTA, Newton Carneiro Affonso da. Lógica Indutiva e Probabilidade. São Paulo: HUCITEC: Editora da Universidade de São Paulo, 1993.

FOUREZ, Gerard. A construção das ciências: Introdução a filosofia e a ética das ciências. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, 1995

PONTE, João Pedro da; BROCARDO, Joana; OLIVEIRA, Hélia. Investigações matemáticas na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009. 160p. (Tendências em Educação Matemática 7)

PONTE, João Pedro da; BRUNHEIRA, Hélia Oliveira Lina; VARANDAS José Manuel. O trabalho do professor numa aula de investigação matemática. - IR PARA O PDF

SANTAELLA, Lúcia. O método anticartesiano de C. S. Peirce. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, 2004.

 

 

Discutindo propostas de metodologia ativa de aprendizagem


Professora responsável: Profa. Dra. Ana Laura Schliemann

 

Programação:

27/08/2015 -Considerações gerais sobre estratégias de metodologia ativa;
17/09/2015 - Construindo em grupo de estratégias para o componente curricular dos docentes participantes. Proposição de um desafio (lição de casa): desenvolver no intervalo entre os encontros duas estratégias para aplicação no componente curricular que o docente ministra e discutir a proposta de pelo menos dois colegas do grupo de trabalho. Avaliação online das estratégias e de sua utilização em sala de aula;

08/10/2015 - Discutindo estratégias de aprendizagem ativa. Avaliação online das estratégias e de sua utilização em sala de aula

29/10/2015 - Avaliação e metodologias ativas de aprendizagem. Avaliação online das estratégias e de sua utilização em sala de aula

 

Referências

BARBOSA, E. F.; Gontijo, A. F.; Santos, F. F. Inovações pedagógicas em educação profissional: uma experiência de utilização do MP na formação de competências. Boletim Técnico do Senac, Rio de Janeiro, v. 30, n. 2, maio/ago. 2004.

BERBEL, N. A. N. (2011). As Metodologias Ativas e a Promoção da Autonomia de Estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 32 (1), 25-40.

BRASIL. Ministério da Saúde. Ministério da Educação. Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde – Pró-Saúde: objetivos, implementação e desenvolvimento potencial / Ministério da Saúde, Ministério da Educação. – Brasília: Ministério da Saúde, 2007. 86 p. il. – Série C. Projetos, Programas e Relatórios)

COSTA, L. F. A perspectiva sistêmica para a Clínica da Família. (2010) Psic.: Teor. e Pesq., 26, (n.spe), 95-104. ISSN 0102-3772. Recuperado em Janeiro, 21, 2015 em http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722010000500008

GOMES, M. P. C., Ribeiro, V. M. B., Monteiro D. M., Leher, E. M. T., Louzada, R. C. R. (2010). O uso de metodologias ativas no ensino de graduação nas ciências sociais e da saúde: avaliação dos estudantes [versão eletrônica], Revista Ciência Educação, 16 (1), 181-198. ISSN 1516-7313

MOURA, D. G.; Barbosa, E. F. Trabalhando com projetos: planejamento e gestão de projetos educacionais. Petrópolis: Vozes, 2011.

UVINHA, R. R.; PEREIRA, D. Metodologias ativas de aprendizagem no ensino de ciências humanas e sociais. ComCiência: revista eletrônica de jornalismo científico, 10 fev. 2010. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=53&id=673

 

 

Aprendizagem Baseada em Equipes


Professora Responsável: Profa. Dra. Mércia Tancredo Toledo
Colaboração: Marcela Pelegrini Peçanha

 

EMENTA:
- Conceituação de Aprendizagem Ativa
- Apresentação da Aprendizagem baseada em equipes
- Elaboração de estratégia didática a partir da ABE

A aprendizagem baseada em equipes (do inglês “Team Based Learning”) é uma modalidade inovadora e simples de trabalho colaborativo que mescla aspectos da docência tradicional expositiva para grandes grupos com os benefícios do trabalho em pequenos grupos (etapa de estudo e questões individuais e rediscussão das questões em grupo). Essa estratégia pedagógica visa efetivar um trabalho em um cenário caracterizado pela mudança de paradigma da docência centrada no professor, para o ensino centrado no aluno e na aprendizagem.
Permite a realização do trabalho em grandes turmas e normalmente não exige recursos docentes ou estrutura diferente das usadas nas classes tradicionais, pois tudo acontece no mesmo espaço físico já utilizado. Isso a distingue de outras estratégias representantes da metodologia ativa de aprendizagem, que exigem mudanças desde o espaço físico até mudanças na distribuição de tarefas entre os membros do corpo docente.

 

Programação:

29/08/2015 - (Participação optativa para os colegas que já participaram da oficina de TBL, no semestre anterior).
- Introdução às Metodologias Ativas;
- Considerações gerais sobre a implementação de método;
- Proposição de um desafio (lição de casa) para o grupo desenvolver no intervalo entre o primeiro e o segundo encontro: analisar a possibilidade de aplicação de ABE em uma disciplina ministrada pelo docente (a construção de atividade, nos moldes do ABE na sua área).(essa parte pode ser desenvolvida por e-mail com os colegas que já realizaram formação anterior, para que, mesmo não participando, possam se situar sobre a programação das próximas etapas dessa formação).

19/09/2015 - Conceituação de ABE;
- Logística aplicada na ABE;
- Relato de caso de aplicação de ABE em cursos de graduação na Uniso;
- Simulação de uma sessão de ABE (material trazido pelo docente)

26/09/2015 - Apresentação dos questionários
- Oficina de elaboração de questionário ABE a partir do material trazido pelo docente

14/11/2015 - “Compartilhando as experiências”: Apresentação do material elaborado e aplicado.
- Análise crítica do grupo sobre as situações vivenciadas: Potencialidades e Limitações

 

Referências

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia do estudante. Semina:Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n.1, p.25-40, jan/jun. 2011.

BRESÓ, Irene; GRACIA, Francisco Javier; LARORRE, Felisa; PEIRÓ, José Maria. Development and validation of the Team Learning Questionnaire. Comport. Organ Gest. Lisboa, v.14, n.2, p.145-60, out. 2008.
SOBRAL, Fernanda Ribeiro; CAMPOS, Claudinei José Gomes. Utilização de metodologia ativa no ensino e assistência de enfermagem na produção nacional: revisão integrativa. Rev. Esc. Enferm. USP, São Paulo, v.46, n.1, p.208-18, 2012.

MICHAELSEN, Larry K., Arletta Bauman Knight, and L. Dee Fink, eds. Team-based learning: A transformative use of small groups. Greenwood Publishing Group, 2002.

 

 

PBL: Aprendizagem Baseada em Problemas


Professora Responsável: Marcela Pelegrini Peçanha
Colaboração: Profa. Dra. Mércia Tancredo Toledo

 

EMENTA:
- Conceituação de Aprendizagem Ativa
- Apresentação da Aprendizagem baseada em problemas
- Elaboração de estratégia didática a partir da ABP

Programação:


11/09/2015 - (Participação optativa para os colegas que já participaram da oficina de TBL, no semestre anterior).
- Introdução às Metodologias Ativas;
- Considerações gerais sobre a implementação de método;
- Proposição de um desafio (lição de casa) para o grupo desenvolver no intervalo entre o primeiro e o segundo encontro: analisar a possibilidade de aplicação de ABP em uma disciplina ministrada pelo docente (a construção de um problema, nos moldes do ABP na sua área). (essa parte pode ser desenvolvida por e-mail com os colegas que já realizaram formação anterior, para que, mesmo não participando, possam se situar sobre a programação das próximas etapas dessa formação).

18/09/2015 - Conceituação de APB;
- Logística aplicada na ABP;
- Relato de caso de aplicação de ABP em cursos de graduação na Uniso;
- Simulação da abertura e fechamento de uma sessão de tutoria

25/09/2015 - Apresentação dos mapas conceituais
- Oficina de elaboração de problemas a partir do material trazido pelo docente

13/11/2015 - “Compartilhando as experiências”: Apresentação do material elaborado e aplicado.
- Análise crítica do grupo sobre as situações vivenciadas: Potencialidades e Limitações.

 

Referências:

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia do estudante. Semina:Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n.1, p.25-40, jan/jun. 2011.

FERRAZ, A.P.C.M.; BELHOT, R.V. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gest. Prod., São Carlos, v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010.